Mensageiro de boas novas e não de fake news

Todo discípulo/a de Jesus é chamado/a a ser um/a mensageiro/a de boas-novas. Vivemos um tempo onde a propagação de mensagens caóticas, mentirosas e caluniosas, as chamadas “fake news” estão se multiplicando com o advento das redes sociais. E, compartilhar tais mensagens é ser conivente com a propagação de uma mentira. Infelizmente, muitos/as discípulos/as de Jesus têm incorrido nestes erros, talvez involuntariamente ou não. E, isto é grave ao imaginar que fomos chamados/as pelo Senhor a proclamar as boas-novas, especialmente neste tempo de profunda crise humanitária que vivenciamos. Por isso, é importante analisarmos o texto de Isaías 52.7: “Quão formosos são sobre os montes os pés do que anuncia boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O seu Deus reina”. A imagem do mensageiro, que Isaías aponta em sua profecia, é bem sugestiva em relação ao momento em que o povo de Deus enfrentava uma de suas maiores crises, o exílio babilônico. Tal pregação profética faz parte de um conjunto de profecias isaiânicas, que vai do capítulo 40 ao 55, surgidas neste período de crise com o propósito de trazer esperança ao povo. Este conjunto de textos proféticos também é conhecido como o “livro da consolação” (40.27-31; 41.8-16; 43.1-7; 44.1-2 etc.) e a consolação consiste na libertação do jugo opressor babilônico (40-48) e o regresso à terra prometida (49-55).

Pois bem, o capítulo 52.7-12 retrata o retorno para casa (Sião), e esta volta significa a condução do povo liberto da opressão de volta à Terra Prometida. O cenário apontado na profecia é de grande expectativa, pois os “atalaias” (v. 8), que representam o povo aflito e machucado pelo exílio, estão à espreita aguardando a chegada do mensageiro e sua notícia.

O profeta destaca os “pés formosos” do mensageiro (v. 7). O mensageiro tem por característica a rapidez dos seus pés, pois tem a responsabilidade de entregar a notícia o mais rápido que pode. E, diante da qualidade da mensagem que ele carrega não tem como deixar de expressar que realmente os seus pés são formosos. Na verdade, todos os pés daqueles e daquelas que anunciam a mensagem de Deus são formosos!

Isaías descreve o mensageiro como o portador das boas-novas e elas retratam a salvação divina. A mensagem é tríplice: “paz”, “coisas boas” e “salvação – Deus reina”.

  • A paz indica o restabelecimento de todas as coisas, inclusive das relações, especialmente de Deus para com Seu povo. O termo “paz” – shalom, significa muito mais do que mera ausência de guerra. Denota inteireza, integridade, harmonia e realização. Segundo o Dicionário Internacional de Teologia do AT, “Shalom é o resultado da atividade divina na aliança, berit e também o resultado da retidão (Is 32.17) (…) na maioria dos casos shalom descreve o estado de plenitude e realização, que é resultado da presença de Deus”.
  • As “coisas boas” representam a harmonia e a bênção da criação e lega uma condição na qual os propósitos da criação são concretizados por meio do bem, tob (cf. Gn 1.4,10 etc).
  • A salvação remonta a libertação da escravidão, mas particularmente da escravidão resultante do pecado. Todas estas características da mensagem de salvação do mensageiro apontam para o reinado de Deus, ou seja, onde o Senhor reina há paz, o bem e a salvação.

É interessante notar que todo o conceito de boas-novas impresso na profecia de Isaías passou a ser um marco referencial para a fé bíblica. Inclusive se harmoniza com o pensamento cristão a partir da palavra “evangelho”, euangelion.

Jesus instruiu seus discípulos a saírem pelas ruas anunciando as boas-novas (Mt 10.1-7) e o apóstolo Paulo, em Romanos 10.15, aponta para a importância de pregar as boas-novas citando a profecia de Isaías 52.7. Portanto,  o cristianismo primitivo em harmonia com Isaías entendeu que a proclamação das boas-novas do reinado de Deus compreende uma mensagem de paz, bem e salvação.

Portanto, neste tempo de crise que estamos passando, existem milhares de pessoas que estão aflitas e como a figura de linguagem de Isaías, elas são como os atalaias que vigiam os muros das cidades esperando a chegada do mensageiro que possa trazer as boas-novas. Nós, discípulos/as de Jesus, que possamos ser esses mensageiros que exerçam seu chamado de proclamar as boas-novas de paz, bem e salvação!

Com amor,

Daniel Neves Stephen, pastor na IM em São Bernardo (SP)

Gostou desse artigo? Passe adiante!

Compartilhar no facebook
Compartilhar
Compartilhar no twitter
Compartilhar
Compartilhar no linkedin
Compartilhar
Compartilhar no pinterest
Compartilhar