Visão que exige disposição

O capítulo 10 de Atos dos Apóstolos, versículos 9 a 23 registra a chegada do Evangelho aos gentios. A casa do centurião romano Cornélio foi a porta de entrada para o discipulado de Jesus alcançar os não judeus.

Deus tinha um propósito e para cumpri-lo, desejava usar a vida do apóstolo Pedro. O Espírito Santo trouxe uma visão de um lençol que vinha do céu para a terra, amarrado pelas quatro pontas e que trazia todas as espécies de animais e aves. A voz do céu mandou Pedro sacrificar e comer daqueles animais, mas ele, impregnado pela religiosidade, recusou. A resposta que recebeu foi: “Não faças tu comum ao que Deus purificou” (v. 15).O Senhor já havia ensinado, por exemplo, que o que contamina o ser humano não é o que entra, mas, o que sai de sua boca (Mt 15.11). Em outras palavras, o Espírito Santo estava dizendo a Pedro: “Deixe para trás todas as barreiras religiosas; existem valores, preceitos, ensinamentos sobre o Reino de Deus que são muito mais importantes do que as barreiras que erguemos. Não erga um muro. Lance um lençol que alcança e abençoa a todos/as em sua volta”.

Vamos destacar alguns direcionamentos desta maravilhosa visão:

A visão desce do céu, ou seja, vem de Deus.

Quando compreendemos que algo vem de Deus, a dúvida não encontra lugar em nosso coração, pois seguimos uma visão celestial. O apóstolo Pedro teve que romper com conceitos humanos sobre o Reino de Deus que haviam envelhecido – conceitos que, ao invés de aproximar as pessoas de Deus – afastavam. Pedro teve que ampliar sua visão.

A essência da visão é reconhecer que todos/as são especiais diante de Deus

No discipulado de Cristo somos levados/as a romper com os preconceitos. Passamos a enxergar as pessoas ao nosso redor da maneira divina, não como pecadores/as indignos/as, mas, como pessoas especiais e dignas do amor e da graça de Deus!

A visão é dada ao apóstolo Pedro por meio de um grande lençol, que assim revela o símbolo de abrangência, ou seja, um grande lençol para colher toda espécie de gente, pessoas que precisam ser alcançadas pela graça: familiares, amigos/as, perdidos/as que estão à procura de uma resposta; ricos e pobres, pessoas que somente Deus consegue amar. Todos/as são chamados/as e, ninguém está excluído/a!

A visão exige disposição para evangelizar, cuidar, amar e treinar.

O apóstolo Pedro obedeceu prontamente. Ele foi imediatamente: caminhou um dia inteiro e, por amor a Deus e à visão que recebeu, não perdeu tempo! Ele, de certo modo, suou a camisa, pagou o preço para salvar vidas. “Quanto vale uma vida?”. Vale o mundo inteiro!

Nestes dias de desespero por conta das circunstâncias em que o mundo inteiro está enfrentando, Deus deseja que lancemos o lençol na perspectiva do discipulado, a fim de alcançarmos muitas vidas para Jesus e continuarmos o trabalho de fazer discípulos e discípulas de todas as nações!

Rev. Cléber da Rocha e Rev. Luciano Martins

Gostou desse artigo? Passe adiante!

Compartilhar no facebook
Compartilhar
Compartilhar no twitter
Compartilhar
Compartilhar no linkedin
Compartilhar
Compartilhar no pinterest
Compartilhar