Ano novo, antigo desafio de pregar a Palavra de Deus

O ano de 2020 já se foi, um ano desafiador, literalmente, para todo o mundo. Aconteceram e ainda estão acontecendo muitas coisas; apesar de esforços dos profissionais da saúde e de outras áreas, temos muitas perdas: vidas, econômicas, relacionamentos distanciados, riscos de contaminação, vacinação ainda sendo definida, governos contraditórios, porém, a missão da Igreja não parou e a Palavra de Deus não deixou de ser anunciada, dos mais diversos meios.

O ano de 2021 chegou, de início demonstrando um pouco de instabilidade, precisando de reconstrução em várias áreas da vida humana, social e econômica e porque não dizer na vida da Igreja e sua missão de pregar a Palavra de Deus a toda criatura humana e de fazer discípulos/as de todas as nações. Vamos em frente com ânimo e coragem. A vida não pode parar e a obra de Deus também não para.

Sei que a preocupação de muitos/as está focadas em muitas coisas neste início de ano e de fato há muitas áreas a serem trabalhadas: vidas pessoais, trabalho, Igreja e sociedade, porém, não podemos deixar de lado e em segundo plano o anúncio das Boas Novas da Palavra de Deus. Apesar de vermos nas mídias a Palavra sendo anunciada de diversas maneiras e meios, a grande maioria foi online e de certo modo continuará sendo, pois estas práticas de comunicar a Palavra, vieram para ficar. Contudo, não há melhor maneira de apresentar a Palavra senão por meio da nossa vida, testemunho, olhares, palavras face a face, com demonstração de amor e graça quando nos comunicamos uns com outros/as.

Acreditamos que a pandemia nos limitou neste aspecto, mas irá passar e a velha e boa forma de comunicar o Evangelho também voltará, e mais forte que antes, para a glória de Deus!

Sabemos que Jesus Cristo está às portas, sua vinda é certa, portanto, precisamos estar atentos aos sinais de sua vinda. Dentre os sinais estão o esfriamento do amor de quase todos/as, a distorção da Palavra, a Igreja será perseguida, os cristãos e cristãs odiados/as, traições de uns para com os outros, aumento da maldade, falsos líderes. Jesus disse que aqueles/as que permanecerem firmes até o fim serão salvos/as. Logo após, Ele diz que um dos sinais será a pregação do Evangelho do Reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. (Mt 24.9-14). Em Habacuque 2.14 lemos: “E a terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor, como as águas enchem o mar”. O apóstolo Paulo, em Romanos 1.8 diz: “Antes de tudo, sou grato a meu Deus, mediante Jesus Cristo, por todos vocês, porque em todo o mundo está sendo anunciada a fé que vocês têm”. Em Atos 4.31 lemos: “Depois de orarem, tremeu o lugar em que estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e anunciavam corajosamente a palavra de Deus”.  E no Salmo 68.11: “O Senhor anunciou a palavra, e muitos mensageiros a proclamavam” (versão NVI) e “O Senhor deu a palavra, e grande é o exército das mensageiras das boas-novas” (versão atualizada).

A palavra que Deus coloca em meu coração para transmitir a vocês é de que enquanto reconstruímos nossas vidas e Missão, enquanto vigiamos em nossa fé, precisamos, todos os cristãos e cristãs, sermos anunciadores apaixonados da santa e poderosa Palavra Viva do Deus Vivo. A sociedade, as pessoas do mundo inteiro estão precisando ouvir novamente, sob a unção do Espírito Santo, a Palavra Viva de Deus recheada de fidelidade, lealdade, amor genuíno, confiança em sua veracidade, cheia de graça, de compaixão, por quem a anuncia. Pregada com ousadia, intrepidez, sabedoria e autoridade, por quem nela confia de fato e de verdade, mas pregada em todo o tempo e em todo o lugar e de todas as maneiras possíveis, em especial por meio de relacionamentos saudáveis e intencionais, pois fomos chamados/as para esta Missão e nesta obra nenhum discípulo e discípula deve ficar de fora, porque não desejamos que ninguém fique para trás quanto à salvação em Jesus Cristo.  

Pretendo então responder algumas questões vitais para nos conscientizarmos da seriedade de nossa missão e da profundidade da obra que Deus confiou a cada um/a de nós. Pretendo deixar que o texto sagrado fale mais que meus comentários, crendo que o Santo Espírito lhe inspire para ler e refletir nesta mensagem. Atente para as expressões destacadas em negrito!

1. Ministério da Palavra exercido por poucos/as ou muitos/as. Qual será a sua filosofia ministerial, seja você clérigo/a ou leigo/a?

“Agora, Senhor, considera as ameaças deles e capacita os teus servos para anunciarem a tua palavra corajosamente. Estende a tua mão para curar e realizar sinais e maravilhas por meio do nome do teu santo servo Jesus. Depois de orarem, tremeu o lugar em que estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e anunciavam corajosamente a palavra de Deus” (Atos 4.29-31).

“Pelo contrário, isto é o que foi predito pelo profeta Joel: Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão” (Atos 2.16-18).

Preciso lhe dizer que a Palavra precisa ser anunciada por todos os cristãos e cristãs? Porventura, João Wesley não disse que todo/a metodista precisa estar pronto para pregar?

2. Pregar a Palavra ao mundo. De quem é a responsabilidade?

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mateus 28.19-20).

“E disse-lhes: “Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.  Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Estes sinais acompanharão os que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal nenhum; imporão as mãos sobre os doentes, e estes ficarão curados” (Marcos 16.15-18).

Lembrando a todos/as nós, que Jesus Cristo disse estas palavras após a sua ressurreição e antes de sua ascensão, deixando claro qual seria a essência da missão da Igreja no mundo. Você e eu recebemos esta ordem de nosso Senhor. Que tal obedecermos à risca em 2021? Que tal viver este nobre e poderoso propósito de vida cristã? É responsabilidade de cada discípulo e discípula pregar a Palavra de Deus ao mundo, não apenas uns poucos líderes e evangelistas.

O que fazer na prática? Dentre outras coisas, orar muito por você e seu povo, até que do Alto seja revestido de poder. Poder do Espírito Santo, para que a Palavra seja vivida e pregada com ousadia neste ano. Não tem outro segredo para que a Igreja seja obediente e cumpra seu propósito no mundo!

Palavra do Bispo IR 143

Gostou desse artigo? Passe adiante!

Compartilhar no facebook
Compartilhar
Compartilhar no twitter
Compartilhar
Compartilhar no linkedin
Compartilhar
Compartilhar no pinterest
Compartilhar