A reforma em nós

A reforma protestante ocorreu em um contexto de grandes transformações sociais, políticas, culturais e econômicas na Europa no ano de 1517. A formatação da Europa nos moldes medievais estava em declínio e novas realidades estavam surgindo. Era uma Europa que via o comércio desenvolver-se e novos interesses políticos surgindo. A invenção da imprensa, no século XV, foi um fator crucial, pois garantiu maior produção de livros e ampliou a circulação de ideias.

No campo religioso, a contestação da Igreja Católica Apostólica Romana era uma prática que vinha acontecendo desde meados da Idade Média. Esses movimentos religiosos questionavam a falta de moralidade, o abuso do poder, a avareza, a corrupção e todo tipo de desvios comuns na Igreja Católica na Europa. Alguns historiadores entendem, por exemplo, que os valdenses, surgidos na França, no século XII, já eram um movimento reformista. Outros destaques são John Wycliff e Jan Hus, dois nomes que questionaram as práticas da Igreja nos séculos XIV e XV, respectivamente.
As críticas realizadas por ambos iam em caminho semelhante às de Lutero:

– Questionavam o acúmulo de poder e os desmandos de Roma
– Criticavam os desvios dos ensinamentos contidos na Bíblia
– A venda de indulgências, etc.

Lutero era um monge agostiniano e professor de teologia, portanto, era um membro do clero. Não obstante, ele não concordava com certas práticas realizadas no século XVI, e sua inquietude a respeito disso levou-o a posicionar-se. Sua indignação era reforçada pelo fato de que o papa Leão X havia oferecido indulgências para todos que contribuíssem financeiramente para a construção da Basílica de São Pedro. Lutero também criticava a venda de cargos eclesiásticos e a venda de relíquias sagradas, ambas conhecidas como simonia. Suas críticas davam-se porque a ideia que o movia, teologicamente falando, era a de gratuidade da fé, isso quer dizer que ele não acreditava que obras, como pagarem pelo perdão concedido pelo papa, garantissem a salvação de uma pessoa, mas que apenas a fé garantiria a salvação.

John Wesley teve uma relação com a reforma de crítica e herança. Isso modificou seu entendimento sobre vários princípios da reforma, por exemplo, graça, livre arbítrio, salvação, entre outros. Wesley dizia sobre a essência do movimento: “Reformar a nação, particularmente a Igreja, e espalhar a santidade bíblica sobre toda terra”.

Os cinco pontos cardeais da reforma confrontam diretamente essas características da Igreja Católica Romana. As 95 teses pregadas por Lutero na capela de Witemberg em 31/10/1517 eram marcadas pelos princípios:

  • Sola Gratia: não existe méritos em nós para sermos salvos, é somente pela Graça.
  • Sola Fide: não podemos ser salvos pelas nossas obras, somente por meio da Fé.
  • Sola Scriptura: a escritura é inerrante e suficiente em si para nos instruir e é a única regra de Fé para nossa vida, a tradição não pode ordenar nossas vidas.
  • Solus Chritus: não existe outro mediador entre Deus e os homens a não ser o próprio Cristo.
  • Soli Deo Glória: a glória de Tudo que fazemos é de Deus, o culto e a nossa vida não é centrada em nós mesmo, mas para glorificar a Deus.

Ou seja, toda a Glória deve ser dada a Deus, que por meio das Escrituras revela que somos salvos somente por Cristo, pela Graça, por meio da Fé.

Hoje ainda é tempo de rememorarmos a reforma e fazer com que ela se torne viva em nós, como dizia John Wesley: “Reformar a nação, particularmente a igreja.” Que sejamos reformados pela graça de Deus!

Pr. Vinícius Dias – Igreja Metodista em Amparo/SP

REFERÊNCIAS

LOPES, Hernandes Dias. Reforma Protestante: uma volta às escrituras. 2017. https://www.folhavitoria.com.br/geral/blogs/caminhos-de-fe/2017/10/26/artigo-reforma-protestante-uma-volta-as-escrituras/#:~:text=A%20Reforma%20religiosa%20do%20s%C3%A9culo,e%20os%20desmandos%20do%20papado . Acesso em 30/10/20.

PAULA, Sarah de. Reformar a nação, particularmente a Igreja. Expositor Cristão, 2017. http://www.expositorcristao.com.br/reformar-nacao-particularmente-igreja. Acesso em 30/10/2020.

ULTIMATOJOVEM. A reforma protestante em 5 pontos. 10/2020. http://ultimato.com.br/sites/jovem/2017/10/20/a-reforma-protestante-em-5-pontos/. Acesso em 30/10/2020.

Gostou desse artigo? Passe adiante!

Compartilhar no facebook
Compartilhar
Compartilhar no twitter
Compartilhar
Compartilhar no linkedin
Compartilhar
Compartilhar no pinterest
Compartilhar