A Missão e o missionário

Missão é essencialmente a tarefa mais importante no contexto do Cristianismo e faz parte do coração do Pai, pois “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho” (Jo 3.16a). Quando nos ocupamos daquilo que Deus ama, Ele cuida de todas as nossas necessidades. A missão de Deus está diretamente relacionada ao propósito de levar o alimento a um povo que não conhece a Cristo, o Pão da Vida.

Segundo a revista Impacto, em dados recentes, as estatísticas missionárias são preocupantes: “No mundo existem 8.000 povos ainda não alcançados, isto é, 33,33% da população mundial. Existem 6.809 línguas no mundo, mas apenas: 333 (5%) têm a Bíblia toda traduzida; 1.140 (17%) trechos da Bíblia; 500 (7%) têm o Novo Testamento traduzido; 4.500 (66%) nada possuem da Bíblia traduzida”.

Os números são frios, mas revelam parte do desafio que temos. Em Mateus 28, o Ide de Jesus foi claro para todos/as nós. Para cumprir o chamado de Jesus, algumas coisas importam:

  • Chamado da parte de Deus confirmado por seus líderes espirituais;
  • Preparo local para exercer tal missão, bem como para se preparar espiritualmente, psicologicamente e financeiramente;
  • Fé e disciplina para exercer o chamado;
  • Submissão aos/às líderes para que o tempo da missão se cumpra (Lucas 10), e muita
  • Sensibilidade para ouvir a voz de Deus, pois Ele o/a usará aonde Ele quer.

Começamos fazer missão, a partir do momento que em Deus nos leva a aceitar o Seu desafio proposto nos momentos de culto, oração, vigílias; nesses momentos Deus coloca madeira e fogo no altar do nosso coração. É vital exercer o chamado em dependência e sensibilidade à voz de Deus, pois os desafios são maiores que nossas capacidades humanas e materiais. O/A missionário/a nunca está preparado/a! Está sempre em construção, sendo capacitado/a e cuidado/a por Deus.

É necessário entender que esse compromisso missionário passa por um tempo de reestruturação pessoal e familiar. Ao me mudar com a família para Santo Domingo, na República Dominicana, os desafios imediatos foram:

  • Conhecer a cultura e a cosmovisão desse povo;
  • Aprender a língua e seus costumes;
  • Conectar pessoas chaves para auxiliar a adaptar melhor a família missionária;
  • Depender de Deus no suprimento das necessidades básicas psíquicas e emocionais (saudades da família, amigos/as pessoais e da escola), espirituais (conexão da Igreja local, distrital e regional), financeiras (reeducação financeira – agora dependente 100% do provimento de Deus), e quanto ao uso do tempo (a princípio sentir-se ocioso e até inútil, pois é um período de transição).

Minha oração é para que Deus te ajude a ser um missionário/a local, pois a Igreja que pensa naquilo que é princípio divino é suprida em suas necessidades.

Que Deus abençoe Sua Missão e Seus missionários/as discipuladores/as!

Kleyson Fleury, missionário da 5ª RE na República Dominicana

Gostou desse artigo? Passe adiante!

Compartilhar no facebook
Compartilhar
Compartilhar no twitter
Compartilhar
Compartilhar no linkedin
Compartilhar
Compartilhar no pinterest
Compartilhar